Saiba mais

O mercado de games se consolidou como um dos mais fortes entre os setores da economia e o mais rentável da indústria de entretenimento, com um faturamento superior a US$120 bilhões em todo o mundo, de acordo com o relatório Year In Review, de 2019, da SuperData – principal fonte de dados e análises sobre jogos.

Uma outra pesquisa, também realizada pela SuperData, apontou que em março de 2020 as vendas de jogos digitais bateram um recorde, alcançado US$10 bilhões em um único mês. No Brasil, o faturamento chega a US$1,5 bilhão anuais, com aproximadamente 79,8 milhões de gamers – número que cresce cada vez mais, de acordo com a Newzoo.

O crescimento acelerado da indústria de games atrai cada vez mais pessoas, que enxergam esse segmento não somente como uma forma de entretenimento, mas como uma oportunidade profissional.

Os gamers profissionais – ou pro players, como também são chamados – são os jogadores vistos como atletas digitais, que entram em campo de maneira virtual, considerando os jogos um compromisso profissional. A carreira exige que eles tenham disciplina e dediquem horas treinando e estudando técnicas e estratégias para superar seus adversários.

A maioria dos esportistas digitais jogam em times e ganham seu dinheiro por meio dos patrocínios, premiações, publicidade, monetização e venda de produtos. Além de disputar competições de eSports, alguns atletas também são pagos para escreverem críticas e produzirem vídeos para o YouTube e a Twitch – plataforma de streaming que faz transmissões de partidas de videogames.

Leia mais: Você já ouviu falar em hard e soft skills?

O salário de um gamer profissional depende de vários fatores, como o país, a competição e o jogo escolhido. A média salarial dos pro players varia entre R$2 mil e R$20 mil, mas pode ultrapassar a casa do milhão, como no caso do alemão Kuro Takhasomi, conhecido como KuroKy, considerado uma lenda viva entre os gamers de Dota 2.

Com o aumento do número de pessoas interessadas em videogames – seja profissionalmente ou como uma forma de entretenimento -, é natural que a demanda por profissionais que desenvolvam esses jogos também cresça. Segundo a Associação Brasileira de Desenvolvedores de Jogos Digitais (Abragames), o mercado de produção de games apresentou um crescimento de aproximadamente 600% entre 2008 e 2018.

O desenvolvedor de games é o profissional responsável pela projeção e criação dos jogos eletrônicos, participando de todas as etapas, como definição das regras e do roteiro e animação dos personagens e das telas. Esses jogos são produzidos para computadores, dispositivos móveis, videogames ou websites e podem ser direcionados a diversos setores, como o de entretenimento, o educacional e o empresarial.

Microlearning e baixo custo: Conheça a CGD Cursos

Assim como no caso dos pro players, o salário de um desenvolvedor de games também depende de alguns fatores, como o país e a empresa onde ele irá trabalhar. A média no Brasil varia entre R$2 mil mensais para um iniciante até mais de R$8 mil para um desenvolvedor experiente. Os valores são inferiores aos internacionais já que, em outros países como os Estados Unidos, a média se aproxima dos U$$7 mil ao mês. Entretanto, o mercado nacional está em evolução e a tendência é que a remuneração aumente junto com a demanda.

O primeiro passo para se tornar um desenvolvedor de games é buscar capacitação, pois o conhecimento técnico é indispensável nessa área. Por exemplo, é importante entender sobre os programas de criação, como o Construct, um editor de jogos digitais multiplataforma em 2D baseados em HTML 5. Também é essencial dominar softwares de modelagem 3D, como o 3ds Max, ferramenta que permite a renderização de imagens e animação.

A indústria dos jogos digitais está aquecida e com diversas oportunidades para os apaixonados por esse mundo virtual. O importante é não se esquecer que, assim como em todas as outras áreas, o profissional dos games, seja atleta ou programador, precisa de muita dedicação e estudo para alcançar o êxito e a realização pessoal.

Esperamos que tenha gostado do conteúdo, continue lendo em nosso blog, até a próximo leitura!

Topics: interedtech, Profissionais digitais, Jogos digitais, eSports, Gamers, Desenvolvedor de jogos, Pro players